<setembro de 2017>
domsegterquaquisexsáb
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
1234567

» Pesquisar:


»



Número de Visitas:  0073221
» Desenvolvido por:
Historia
São Mamede da Ventosa
 
Terra fértil e vistosa
Enfrentando a ventania,
São Mamede da Ventosa
É uma vasta freguesia.
 
Terra bonita e arejada,
Toda de vales e montes,
Onde a vista, deslumbrada,
Se perde nos horizontes.
 
O Cadoiço, o Fernandinho,
a Pedra, a Cova da Moura,
Arneiros e Carregueira,
Bonabal e Bordinheira,
Figueiras, Moçafaneira,
Costa d' Água e Montengrão...
E muitos casais também,
São filhos da freguesia
Que vivem em harmonia
À volta da Terra Mãe.
 
A sua igreja tão bela
Lá nos altos da Ventosa
É mãe que por todos vela,
Solícita e carinhosa.
 
Mãe que os entrega e confia
A um bom Pastor que os precede
Como exemplo, como guia:
O glorioso São Mamede.
 
A ele pedem confiados
Seus prestimosos favores
Para os campos, para os gados,
Prás alfaias e tractores.
 
E trabalhando e rezando
Num constante porfiar
Seus filhos a vão tornando
Numa paróquia exemplar.
 
Padre António Marques Crispim
 
 
Ventosa, freguesia localizada na Região Oeste — Distrito de Lisboa, Concelho de Torres Vedras, tem por freguesias limites Ponte Rol, Turcifal, Freiria, São Pedro da Cadeira, Santa Maria e Encarnação (concelho de Mafra) e uma área de 25,63 quilómetros quadrados. Compõem a freguesia localidades consideradas principais e seus respectivos Casais (aglomerado de menor dimensão. A saber:
 
- Arneiros: com Gafanhotos, Casal das Balas, Casal das Arroteias, Casal do Rossio e Casal Castelão.
 
- Azinhaga: com Casal do Outeiro, Casal Galazar e Casal das Carreiras.
 
- Bonabal: com Casal da Fonte, Casal do Batuque, Casal da Rocheira, Casal Catanhal, Casal da Arriota, Casal do Vale, Casal da Luz e Casal do Mogo da Joana.
 
- Bordinheira: com Casal dos Matos, Casal Moinho de Frade, Casal Pombal, Casal de São Martinho, Casal do Ferreiro, Casal do Novo Ferreiro, Casal do Sítio, Casal do Regalo, Casal do Poço Mogo, Casal Pastor e Casal Guilhalmeira.
 
- Cadoiço: com Casal Ribeiro.
 
- Carregueira: com Casal da Fonte, Casal Galpeira, Casal Raimonda, Casal das Roseiras, Casal das Quebradas e Casal Portelinhas.
 
- Costa d' Água: Casal da Salgadeira e Casal Barro Vermelho.
 
- Estrada: com Casal do Sol e Casal do Sobreiral.
 
- Fernandinho: com Casal da Boavista, Casal Mucharreira, Casal do Grilo, Casal Vale Merendas, Casal da Cheira, Casal Pampilho e Casal Vale Galegos.
 
- Figueiras: com Casal das Adegas, Casal do Deserto, Casal da Carrasqueira e Casal Pinheiro Manso.
 
- Lugar d' Além
 
- Moçafaneira: com Bemposta, Casal da Milharosa, Casal da Oureça, Casal da Serra do Marco, Bogalheira, Casal dos Pêgos e Casal Poço dos Pêgos.
 
- Moutelas: com Casais da Arruda.
 
- Montengrão: com Casal de Charnais, Casal do Infesto, Casal dos Campos, Casal da Almeara e Casal Coutinho.
 
- Murteira: com Casal da Murteira, Casal Serra da Murteira e Casal Outeirinho.
 
- Pedra: com Cova da Moura, Casal da Pedreira, Casal da Abrigada, Casal Loural de Cima, Casal Loural de Baixo, Casal Serpejeira e Casal das Piçarras.
 
- Recomeira: com Casal do Covão.
 
- São Mamede
 
- Ventosa
 
 
Muitos destes aglomerados de menor dimensão, fruto do desenvolvimento habitacional, encontram-se quase ligados à localidade principal.
De notar, ainda, que Casais da Arruda — Moutelas e Murteira são aglomerados que se reportam por mais do que uma freguesia.
 
 
 
A avaliar pelos vestígios arqueológicos encontrados na Quinta de Charniche, nas proximidades de Ventosa, esta freguesia terá sido habitada desde tempos pré-históricos. De facto, nesta Quinta foi descoberto um notável monumento funerário, do tipo tholos, em que se encontram caveiras humanas, facas de sílex, pontas de seta de cobre, vasos de barro negro, machados de calcário e outros vestígios de alta antiguidade.
Por volta do século XII a. C., durante o período do “Bronze Inicial”, recebeu, também, a presença humana, cuja ocupação é revelada pelos vestígios encontrados, em Junho de 1964, na propriedade de Pena Seca, na povoação de Bonabal. Aqui foram descobertos dois objectos em ouro: um colar, composto por uma cadeia de oito espirais, com oito espiras cada, e uma bracelete.
Posteriormente, foi a vez dos romanos e dos muçulmanos se fixarem nestas terras, deixando marcas da sua passagem. Apesar das dúvidas que ainda hoje surgem quanto à origem de três fontes da freguesia, a tradição oral refere-as como sendo de proveniência romana. No Museu Municipal, nas anotações manuscritas de Leonel Trindade, existe o registo de uma moeda do Imperador António Pio, “num campo de São Mamede da Ventosa”.
A toponímia local pode também apresentar-se como um elemento esclarecedor quanto à ocupação humana nestes períodos. Cova da Moura e Vale da Moura, por exemplo, indiciam uma relação com o domínio árabe do território. O topónimo principal, Ventosa, parece estar ligado a uma fortificação arábica num local elevado e ventoso, que não tinha forçosamente de se localizar na povoação, mas podia estar a ela associada. Ventosa é o nome correcto e oficial, embora também seja conhecida como São Mamede da Ventosa.
Outros factores históricos indiciam a antiguidade do seu povoamento, como é o caso do orago da freguesia, São Mamede, uma vez que o seu culto foi introduzido na Península Ibérica durante o século X.
Na época que antecedeu a fundação da Nacionalidade, toda a região em que se integra a actual freguesia de Ventosa ficou completamente despovoada, devido às lutas constantes entre cristãos e árabes.
Data de 1309 o documento mais antigo que se refere a alguns locais da actual freguesia da Ventosa. Trata-se de uma Inquirição feita às Paróquias de Torres Vedras, para delimitar o seu território. Foram então mencionados os lugares de Cadouço, São Mamede, “Maçofeneira”, “Val de Junqueira a para de Murteira”, “Murteira a par de Monte Mandil”, “Enfesta a par de Almearra”, “Almearra”, “Monte Aragão”, Vale do Galego e Fernandinho.
Este escrito revela ainda que São Mamede era a localidade mais povoada, seguido de Vale de Galegos, Fernandinho e Montengrão.
No arrolamento de 1321, é já referenciada uma paróquia de Santa Maria da Ventosa, no concelho de Torres Vedras, que se pressupõe ser a actual freguesia de Ventosa.
Em termos eclesiásticos, foi um curato da apresentação do prior de Santiago de Torres Vedras, passando mais tarde a priorado.
Nos princípios do século XIX, vários casais estavam ainda entregues a importantes instituições religiosas e casas nobres, como era o caso dos lugares da Pedra, do Pinheiro Manso e do Sítio, encontrando-se este último na posse do Mosteiro de Chelas.
 
 
Ao longo da História da freguesia da Ventosa, muitos foram os factos que se apresentaram determinantes no desenvolvimento da freguesia:
 
1758 — Na resposta dada ao Inquérito Paroquial desse ano, indica-se como figura ilustre da Paróquia o Padre Jozesh de Almeida, sacerdote de hábito de São Pedro.
 
1819 — O Casal do Grilo era foreiro do Mosteiro de Alcobaça.
 
1833 — Morreu, em Setúbal, o Bacharel em Medicina Cândido Gomes de Azevedo, natural da Bordinheira. Serviu o partido médico nas Câmaras de Peniche e Setúbal.
 
1839- Foram nomeados para a freguesia de São Mamede os seguintes Cabos de Polícia: José Manuel, da Pedra; Lúcio Francisco, da Carregueira; António Ramos, do Bonabal; António Gomes, da Bordinheira; António Ramos, da Moçafaneira; Manuel Antunes, das Figueiras; António Luís, do Cadoiço; João Rodrigues, de Montengrão; José Nunes, da Murteira.
 
1839 - Em reunião camarária de 18 de Abril de 1839, ordena-se que “em consideração ao officio do Snh. Administrador deste Concelho em que pede a esta câmara esclarecimento sobre o estado em que se acham os cemitérios respectivos nas freguesias deste concelho (...) se passasse a hir assignar os terrenos para se fazerem os cemitérios nas freguezias aonde ainda se não tivessem constituído”, tendo sido escolhido o dia 9 de Maio para a Câmara se deslocar, com essa finalidade, a São Mamede da Ventosa.
 
1845 — Alguns lavradores de São Mamede são convocados pela Câmara para a organização do Terreiro Público do concelho: António José da Silva e José Dias de Castro Vilela.
 
1855 - A 14 de Agosto de 1855, Joaquim Carreiras de Freitas e Sampaio, então morador na Quinta de Alfaiata, regista na Câmara de Torres Vedras várias minas de metais no concelho, entre as quais uma junto a uma vinha da Quinta da Rocheira, no sítio denominado Catanhal, freguesia da Ventosa. (Anotadores Madeira Torres, manuscrito, 8°cademo f.15)
 
1855 - Em 29 de Agosto de 1855, a Câmara manda nomearem todas as freguesias uma comissão de socorros para prevenir os efeitos da prevista epidemia de cólera, tendo também por objectivo tratar do estabelecimento de um cemitério em cada freguesia rural.
Em 12 de Setembro toma posse a comissão de socorros da freguesia de São Mamede da Ventosa, composta por: J. L. de Barros e Cunha, pároco; António Ignacio Pereira, regedor; António Gomes, do Pinheiro Manso, Juiz eleito; e José Pedro d' Oliveira e Francisco Jorge da Cunha, membros da Junta de paróquia.
 
1874 - Nasce nesta freguesia o Padre Manuel Agostinho lnácio Pereira. Faleceu em 1949.
 
1880 — A 10 de Junho faleceu, na Quinta de Vale de Galegos, o Padre José Luís de Barros e Cunha, pároco de São Mamede. O Prior deixou a sua Quinta ao Hospital da Misericórdia de Torres Vedras.
 
1880 — Início da construção da Capela da Pedra, em honra de São Sebastião. As obras terminaram em 1883.
 
1889 - Fez-se neste ano, com todo o esplendor possível, o mês do Rosário e o das Almas.
 
1890 - São tomadas várias medidas preventivas para o caso da cólera invadir o concelho, criando-se seis hospitais provisórios, entre eles um na Coutada, para servir São Pedro da Cadeira, Ponte do Rol e os lugares de Casas Novas, Pedra, Cova da Moura, Carregueira, Bonabal e Bordinheira, e outro no Turcifal para servir esta freguesia e os lugares da freguesia de São Mamede que não foram designados para o da Coutada.
 
1891- Em 9 de Agosto saiu em Procissão da Ermida do lugar do Carvalhal a imagem do Sagrado Coração de Jesus, para a igreja paroquial de São Mamede.
 
1892- Iniciou-se, a 17 de Março, o douramento do altar do Sagrado Coração de Jesus da igreja paroquial, com o produto de esmolas de dois devotos, juntamente com donativos da freguesia, trabalho que se concluiu em Maio desse ano.
 
1892 - Em Outubro, por despacho ministerial, foi nomeado membro da Comissão Promotora de Exportação de Vinhos, ficando-lhe a cargo a Região Centro do país, o vinicultor Joaquim Gomes de Sousa Belford, residente na Quinta de Charniche.
 
1895 - Por decreto publicado no Diário do Governo de 17 de Junho, o vinicultor Joaquim Gomes de Sousa Belford, residente na Quinta de Charniche, foi nomeado inspector dos Serviços de Fiscalização de Vinhos e Azeites. Era membro do Conselho Superior da Agricultura e da Real Associação Central de Agricultura Portuguesa.
 
1900 - Em Janeiro desse ano o Governo Civil de Lisboa louvou o Sr. José Luiz Ribeiro, regedor da freguesia de São Mamede pelos bons serviços prestados.
 
1900 - Neste ano nasceu nesta freguesia o Padre Tobias Gomes Duarte, falecendo em 1977.
 
1904 - A câmara de Torres Vedras toma conhecimento de que José Norberto Correia Lopes, Joaquim de Sousa Mesquita e António Maurício Machado da Cruz requereram a concessão de um caminho de ferro de via reduzida, de tracção eléctrica ou a vapor, que, entre outros locais, passava em São Mamede.
 
1910 — 21 de Agosto — Num comício republicano realizado em Freiria, durante a campanha eleitoral para as últimas eleições monárquicas, registam-se incidentes entre republicanos e monárquicos, estes liderados pelo pároco de São Mamede, Benjamim Cerqueira, apoiante do partido “franquista” que “havia ido, na companhia do Sr. Chichorro, à Freiria, promover tumultos e incitar o povo contra os republicanos, que ali foram ao comício, e contra os quaes mandou atirar pedras e lixo por mulheres fanáticas que elle commandava desordenadamente, em cabello, mandando fazer batuque em latas velhas” (Folha de Torres Vedras, 4 de Setembro de 1910).
Odiado pelos republicanos locais, o padre Cerqueira seria alvo de uma manifestação de desagrado quando se deslocou a Torres Vedras no dia seguinte às eleições, tendo sido salvo da ira popular pela intervenção do administrador do concelho.
 
1911 — Acusado de “andar a difamar as actuaes instituições da República” (Correspondência do Administrador do Concelho para o Governador Civil, Lº 1910-1913, nº 74, 3 de Março de 1914, AHMTV), o padre Benjamim Cerqueira foi preso em Março desse ano, prisão que esteve na origem do primeiro levantamento local da população contra o novo regime, liderado por uma “Comissão de Apoio ao Padre Benjamim Cerqueira”, constituída por habitantes de São Mamede da Ventosa:
“No domingo passado” (2 de Abril de 1911) “começou correndo o boato de que o povo da freguesia de São Mamede se dirigia a esta villa afim de reclamar o padre Benjamim Cerqueira(...)”.
“A auctoridade competente tomou as necessárias providencias com a energia e rapidez que o caso requeria, afim de cortar a entrada na villa d' essa multidão(...).”
“Assim, a força militar tomou a entrada da villa à Horta Nova, impedindo a passagem aos manifestantes, em quanto o Batalhão de Voluntários formou no Largo da Graça e se armou, bem como os cabos de polícia, sob as ordens dos regedores da villa.”
“O commércio encerrou as suas portas.”
“Afinal das 800 ou mais de 800 pessoas que sahiram da freguezia de São Mamede, apenas umas 300 chegaram à entrada da villa, tendo os restantes o bom senso de voltar para traz, ou deixarem-se ficar pelo caminho.”
“À entrada da villa, o sr. Coelho Graça, como representante da auctoridade, disse aos manifestantes que nomeassem uma commissão de cinco ou seis pessoas para se entenderem com a auctoridade e apresentaram-se então os seguintes:
“José Agostinho e Miguel dos Santos da Bordilheira; João Nicolau dos Santos, do Casal dos Pêgos; José Gregório Dias e José dos Santos, do lugar da Pedra, os quaes reclamaram a entrega do padre e a demissão da junta de parochia, cujhos membros foram obrigados a vir em frente da população.”
“Por fim, depois de serem tornados responsáveis aquelles indivíduos pela falta de ordem que porventura se originasse, e serem aconselhados a que fizessem ver ao povo a necessidade de se retirar em boa ordem, dispersaram todos serenando-se os ânimos.”
“(...) na cadeia estão presos Miguel dos Santos e José Agostinho” (Folha de Torres Vedras, 9 de Abril de 1911).
 
1911 — “No começo d' estes trabalhos” (inventário das Igrejas em 1911) “foi appresentado pelo prior desta freguezia José Benjamim Cerqueira, um protesto que é do thêor seguinte: - Ex.mo Sr. Presidente da Commissão de Inventario da freguesia de São Mamede da Ventosa, concelho de Torres Vedras, declara que' s Egreja pelos seus Ministros e pelas corporações eclesiásticas canonicamente erectas, pertencem em bom direito a posse, uso, guarda e administração dos templos, alfaias, bens immoveis e moveis destinados ao exercício do culto catholico — Em presença do acto a que se vae proceder declaro o signatario não ser seu intento desacatar a authoridade civil mas cedendo à força de nenhum modo colabora nas operações do presente inventario, antes em nome da liberdade religiosa, protesta contra elles perante V. Ex.º considerando-o uma violência attentatoria dos direitos legítimos da Egreja.”
“28 de Julho de 1911.”
(in “Inventario dos bens pertencentes à Egreja e Capellas da freguesia de São Mamede da Ventosa, concelho de Torres Vedras”, AHMTV).
 
1911 — Setembro/ Outubro - A 29 de Setembro de 1911 dá-se no Porto uma tentativa falhada de Golpe de Estado Monárquico, à qual se segue, a 5 de Outubro, em Trás-os-Montes, a primeira incursão monárquica comandada por Paiva Couceiro. Em Torres Vedras viveram-se então alguns dias de agitação, envolvendo o pároco de São Mamede da Ventosa.
Na madrugada do dia 30 de Setembro foram cortadas as linhas telegráficas na Serra da Vila, acto que tinha sido organizado pelo padre José Benjamim Cerqueira, que nessa madrugada chamou vários indivíduos da freguesia de São Mamede da Ventosa, dizendo-lhes que a revolução no Porto tinha rebentado, estando já restaurada a monarquia e intentando, por isso, a prisão das autoridades. Chegou a deter em sua casa o regedor substituto, que fugiu, indo prevenir o efectivo. Mais tarde, apareceu o regedor e a polícia para efectuar a prisão do padre. Este evadiu-se, correndo pelas vinhas da traseira do prédio da sua habitação.
O plano daquele pároco seria, segundo o jornal "Folha de Torres Vedras", invadir a vila com todos os habitantes da sua freguesia e dos da Ponte do Rol, devidamente armados, para aqui proclamar a monarquia.
No dia 3 de Outubro foram presos vários conspiradores, registando-se na noite desse dia um incidente com certa gravidade na freguesia de São Mamede. Ao todo seriam detidos vinte e quatro conspiradores, continuando o padre Cerqueira fugido por algum tempo, acabando por ser detido no Minho, em Vila Nova de Famalicão, a 5 de Fevereiro do ano seguinte.
Perdoado, regressa para a sua paróquia onde volta a conspirar contra a República durante a segunda incursão monárquica de Junho de 1912, voltando a ser preso na ocasião.
 
1914 — O último movimento monárquico com impacto na região, teve como palco os limites da freguesia. Referimo-nos ao pronunciamento monárquico de Mafra de 20 de Outubro de 1914, que ficou popularmente conhecido na região pela “revolta da água-pé”, por se dar na época de fabrico daquele líquido.
Essa revolta iniciou-se com o assalto ao Quartel da Escola de Tiro de Mafra, pelas 8 horas da manhã do dia 20 de Outubro por um grupo de monárquicos comandados pelo major Rodrigues Nogueira.
Depois de se fornecerem de armas e munições estes deslocaram-se a caminho de Torres Vedras, onde contavam encontrar apoio.
Uma força da Guarda Republicana, entretanto saída de Torres Vedras, e uma força militar fiel à República, saída de Mafra, surpreenderam os revoltosos perto de São Pedro da Cadeira, onde se travou violento combate, de que resultaram três mortos e vários feridos, registando-se ainda várias escaramuças que envolveram os lugares de Encarnação, Azenhas dos Tanoeiros, São Pedro da Cadeira, Coutada, São Mamede da Ventosa e Moçafaneira.
Na Moçafaneira, as forças da Guarda Republicana de Torres Vedras conseguiram apreender grande parte do armamento dos revoltosos.
Em Torres Vedras os republicanos organizaram vários grupos armados para defender a vila, caso os rebeldes aqui conseguissem chegar.
Outros grupos partiram para a “Ponte do Rol, Pinhal da Coutada, etc., procurando notícias dos salteadores”. Pelo caminho só encontraram “de anormal povoações em alarme, gente fugida pelos pinhaes, mulheres lastimando a sua sorte, muitos boatos desencontrados, uns diziam que os alemães tinham desembarcado próximo de Santa Cruz para nos aniquilar, outros gritavam que era a tropa do governo que vinha buscar gente para a guerra (...)” (A Voz de Torres, 1 de Novembro de 1914).
Os revoltosos em fuga dirigiram-se para norte, pernoitando perto da Póvoa de Penafirme, onde só por acaso não foram surpreendidos por um grupo de republicanos civis que, armados, saíram da Lourinhã marchando na direcção de Torres Vedras, pernoitando essa noite no Vimeiro, e tendo marchado no dia seguinte “em direcção a Porto Novo, Povoa de Penafirme, percorrendo toda a costa marítima até Santa Cruz, em perseguição d' essa cáfila de cães raivosos” (A Voz de Torres, 1 de Novembro de 1914).
A pouco e pouco os vários insurrectos foram-se sendo presos ou entregaram-se.
Neste concelho foram efectuadas diversas prisões de indivíduos suspeitos de serem cúmplices dos revoltosos, “os quaes, por não haver elementos de prova, de ligação directa com o movimento monárquico, foram postos em liberdade por ordem do Ex.mo Sr. Governador Civil e os referidos autos arquivados”. (Correspondência — Governo Civil (do Administrador do Concelho) (1914 — 1916), nº 170 de 31 de Dezembro de 1914, AHMTV).
 
1918 — Eleições “Sidonistas” (para presidente, senadores e deputados). A Ventosa formava então um círculo eleitoral próprio, pela primeira vez (eleições de 28 de Abril de 1918), pertencente ao círculo n° 3). Eleitores — 543; Votantes — 424.
 
1928 - Plebiscito de 25 de Março de 1928 (investidura de António Oscar Carmona como Presidente da República). (Nº de Votos Expressos pela freguesia da Ventosa — 357; Total do Concelho — 4879).
 
1933 - Referendo constitucional de 19 de Março de 1933. (Ventosa: Eleitores — 767; Nº de Votantes — 398; 52% de votos).
 
1934 - Primeiras Eleições para a Assembleia Nacional (16 de Dezembro de 1934). (Resultado na Ventosa: Eleitores — 218; UN — 156; 71% de votos; Votos Nulos — 16; 57,8%, em média, de votantes no concelho).
 
1935 — Eleição do Presidente da República — 24 de Fevereiro de 1935 (2º mandato de Oscar Carmona). (Ventosa: Nº de votantes — 179; Eleitores — 229; 67,5% de votos; Total de Votantes no Concelho — 2893; 65,5% dos votos).
 
1948 - A 12 de Junho são inaugurados os lavadouros e os fontanários da Moçafaneira.
 
1949 - Por ocasião da realização da festa em honra do Mártir São Sebastião, na Pedra, tem lugar a inauguração das obras de restauro da capela desse lugar.
 
1949 — Eleições do Presidente da República — 13 de Fevereiro de 1949.
 
Ventosa (1ª Secção) — 174 eleitores; 136 votantes; 78% de votos
Ventosa (2ª Secção) — 294 eleitores; 230 votantes; 78% de votos
Total da Ventosa — 468 eleitores
Concelho — 6624 eleitores; 4639 votantes; 70,9% de votos.
 
1949 - No dia 6 de Novembro foi inaugurada a escola mista de Bonabal, construída em terrenos oferecidos pelo senhor Boaventura do Vale Santos, de harmonia com o “Plano dos Centenários”. A cerimónia foi presenciada pelo Governador Civil de Lisboa, Dr. Mário Madeira, pelo director do Distrito Escolar, José Francisco de Moura, e pelo representante da repartição das obras das escolas Primárias, Eng. Manuel Domingos Rosa. A benção do edifício foi efectuada pelo padre Manuel Antunes, pároco da freguesia.
 
1951 - Nasce nesta freguesia o Cónego Dr. Álvaro Ferreira Bizarro. Foi ordenado em 1977.
 
1951 - No dia 15 de Abril toma posse a comissão de freguesia da União Nacional, composta por António Gomes Marçal, Nicolau dos Santos Silva e Joaquim Ferreira Carimbo.
 
1951 - Maio - Inauguração do abastecimento de água (rede de fontanários) no lugar de Fernandinho.
 
1952 - Criação do Clube de Amigos de São Mamede, com 150 sócios, tendo por objectivo educar e desenvolver a freguesia, organizando para isso jogos e cursos de alfabetização de adultos.
 
1952 — No dia 21 de Dezembro realizou-se a homenagem à família Pedro Vaza, com 10 filhos, em homenagem às Mães. Na ocasião o menino António Feliciano dos Santos, de Fernandinho, recitou “Deus, Pátria, Família” e actuou o Grupo Coral da Pedra, sob regência de José Maria Antunes. Nesta festa, promovida pela paróquia e organizada pelo pároco Manuel Antunes, estiveram presentes o Presidente da Câmara e membros da Junta de Freguesia, tendo contado com a colaboração da professora da escola de Bonabal, D. Teresa Idalina Petronil.
 
1953 — Eleições para deputados à Assembleia Nacional 8 de Novembro de 1953 (foram as primeiras, desde o 28 de Maio de 1926, em que a oposição se apresentou nas urnas).
 
Ventosa — 647 eleitores; 481 UN; 97,7% dos votos; 9 oposição
Concelho — 8041 eleitores; 4391 UN; 92,6% dos votos; 326 oposição
 
1953 - Em Dezembro inaugura-se a luz eléctrica em vários lugares da freguesia de São Mamede: em Moçafaneira a 13 de Dezembro; em Arneiros, Azinhaga, Cova da Moura e Pedra a 24 de Dezembro.
A inauguração da luz eléctrica em Moçafaneira foi acompanhada com toda a pompa e circunstância da época:
“Após a benção, todas as autoridades se dirigiram para a entrada do lugar de Moçafaneira, onde o Sr. Presidente da Câmara, antes de premir o botão eléctrico, dirigiu à multidão presente palavras de congratulação pela grande obra inaugurada, e de louvor ao Estado Novo pelo esforço que vem fazendo para electrificar todas as terras de Portugal. Ao terminarem as palavras do Sr. Presidente, apareceu em todos os lugares de Moçafaneira a desejada luz. Dezenas de foguetes estalavam, grandes salvas de palmas, delirantes vivas, telefonias a tocar, etc. Eis a animação” (Badaladas, 15 de Janeiro de 1954).
 
1957 - Inaugurado o Salão Paroquial e o Centro de Assistência Social, obra que foi custeada pelo povo da freguesia, por iniciativa do padre Reverendo Manuel Antunes. As suas salas comportavam 2000 pessoas. Para o efeito deslocou-se a esta freguesia o Cardeal Patriarca.
 
1958 — Eleições Presidenciais de 1958 (Candidatura de Humberto Delgado)
 
Ventosa (1ª Secção): 213 votantes; 198 votos para Américo Thomaz — 92,9% dos votos; 15 votos para Humberto Delgado — 7,1% dos votos.
Ventosa (2ª Secção): 278 votantes; 267 votos para Américo Thomaz — 96% dos votos; 11 votos para Humberto Delgado — 4% dos votos.
Total: 491 votantes; 465 votos para Américo Thomaz — 79,6% de votos, em média, do concelho; 26 votos para Humberto Delgado — 20,4% de votos, em média, no concelho.
 
1961 — Eleições para deputado à Assembleia Nacional, Novembro de 1961.
 
Ventosa (1ª Secção): 372 eleitores; 247 UN; 66,4% de votantes
Ventosa (2ª Secção): 295 eleitores; 195 UN; 65,1% de votantes
Total: 667 eleitores; 442 UN
Concelho: 65% de votantes
 
1963 - A 27 de Outubro, o povo da freguesia recebe com grande entusiasmo o padre José Querido, que, nessa data, toma posse da paróquia.
 
1966 - 6 de Dezembro - Festa de consagração do altar mor da Igreja Matriz de São Mamede da Ventosa.
 
1969 — Eleições de Outubro de 1969
 
Ventosa (1ª Secção): 319 eleitores; 172 votantes; 171 UN; 1 CEUD; 0 CEM; 0 CDE
Ventosa (2ª Secção): 546 eleitores; 377 votantes; 377 UN; 4 CEUD; 0 CEM; 1 CDE
Total: 865 eleitores; 548 votantes; 548 UN; 5 CEUD; 0 CEM; 1 CDE
 
1970 - 20 de Setembro - Festa de homenagem ao pároco Manuel Antunes pelas bodas de prata sacerdotais, que embora já não fosse pároco na freguesia, tinha realizado nesta paróquia uma notável obra, tanto no plano espiritual como material.
 
1971 - 15 de Junho - Após aprovação dos seus estatutos, foi concedido o Alvará da Casa do Povo da Freguesia de São Mamede. A Casa do povo tem sede em São Mamede da Ventosa e abrange toda a freguesia.
 
1972 - 16 de Abril - Festa em São Mamede da Ventosa, celebrando as bodas de prata sacerdotais do pároco José Querido, então há oito anos como pároco dessa freguesia.
 
1972 - No dia 1 de Novembro é inaugurada a residência paroquial de São Mamede, em terreno doado pelos herdeiros de Boaventura Nicolau dos Santos.
 
1973 - No dia 2 de Novembro cai uma faísca na torre da Igreja Paroquial, danificando-a.
 
1974 — 6 de Janeiro - “(...)Numa sala do Salão Paroquial, a comissão organizadora da Casa do Povo de São Mamede da Ventosa, sendo presidente José António Antunes, vice-presidente Padre José Querido; Secretário João António das Neves Nicolau; tesoureiro Augusto Nicolau; vogais, José Augusto Bernardes e José Maria dos Santos, deu posse aos novos corpos gerentes da Casa do Povo para triénio 1974/ 76 sendo presidente da Assembleia Geral, António Duarte, vogais João Gomes e Bernardino Gomes dos Santos. Presidente da Direcção Benedito Ferreira Carimbo, Vogais Paulo Roque de Carvalho, António Francisco e Valentim de Oliveira. Presidente da representação profissional José Augusto Bernardes Sales, Rogério Roque dos Santos e João António das Neves Nicolau...” (Acta da Tomada de Posse dos Corpos Gerentes da Casa do Povo de São Mamede da Ventosa).
 
1974 - 11 de Fevereiro - Lançamento da primeira pedra da capela de Nossa Senhora de Lurdes, em Fernandinho.
 
1974 — Na sequência do 25 de Abril registaram-se alguns conflitos com a igreja, registados pelo pároco Pe. José Querido:
Na Pedra, em Setembro desse ano “forma-se uma comissão para a construção de uma sede e valendo-se do vinte e cinco de Abril, apoderam-se da Escola Velha, com o patrocínio da Comissão Administrativa da Câmara Municipal. O povo não reage. A Comissão da Capelaria demite-se e o Pároco deixa de ir celebrar. Surgem então as reacções e forma-se nova comissão da Capelaria, composta por sete elementos. Faz-se uma consulta popular para aprovação desta comissão, que foi aprovada e que por sua vez, não aceita a ocupação da escola. Dão-se várias reacções e fica-se num impasse”.
Surge, entretanto, outro conflito, quando a “Comissão Administrativa da Junta, apoiada no vinte e cinco de Abril, pretende ocupar uma sala do Salão Paroquial. O Pároco opõe-se e surge pela freguesia uma reacção contra as pretensões da Junta”.
 
1975 — Em Agosto, na sequência do conflito do ano anterior entre os membros da Capelania da Pedra e a “Comissão da Sede”, chega-se a um acordo: “Pelo bem da paz, a Capelania continuava de posse da escola velha e comprava para a Comissão da sede, terreno igual ao da escola velha, para a construção da futura sede.
“A sete de Setembro faz-se uma reunião da Capelania, Comissão da sede, Comissão de Moradores e Junta de Freguesia, para tratar deste assunto. Com algumas oposições foi acordado a Capelaria comprar para a Comissão da sede, chão igual ao da escola velha” (Memórias Manuscritas cedidas pelo Sr. Padre José Querido).
 
1976 - 5 de Setembro - A Igreja Paroquial de São Mamede da Ventosa recebeu a visita do Cardeal Patriarca de Lisboa D. António Ribeiro, que se havia deslocado a esta freguesia para, da parte da manhã, ordenar de Diácono o seminarista, do lugar de Fernandinho, Álvaro Ferreira Bizarro e, da parte da tarde, inaugurar a capela de Nossa Senhora de Lurdes no Lugar de Fernandinho.
 
1976 — Eleições Presidenciais — Julho de 1976 — Freguesia de São Mamede da Ventosa:
 
Ramalho Eanes — 1868 Votos Expressos
Otelo Saraiva de Carvalho — 156 Votos Expressos
Pinheiro de Azevedo — 181 Votos Expressos
Octávio Pato — 156 Votos Expressos
 
1977 — No dia 21 de Dezembro faleceu o Padre Tobias Gomes Duarte. Nascido no lugar de Azinhaga em 1900, foi pároco das freguesias do Turcifal, Vale de Cavalos (Lourinhã) e Estrela (Lisboa). Foi vigário da Lourinhã e Vigário Judicial do Tribunal Eclesiásticos do Patriarcado.
 
1980 — Eleições Presidenciais:
 
Eleitores: 3680
Votantes: 3049; Brancos: 6; Nulos: 24
 
Ramalho Eanes — 1786 votos expressos
Soares Carneiro — 1170 votos expressos
Pires Veloso — 19 votos expressos 
Otelo — 19 votos expressos
Galvão de Melo - 19 votos expressos
Carlos de Brito — Desistiu a favor de Eanes
Aires Rodrigues — 6 votos expressos
 
1980 - 2 de Outubro - Entra em funcionamento o primeiro Jardim de Infância da freguesia, em Moçafaneira, em instalações provisórias cedidas pelos herdeiros de João Nicolau dos Santos Júnior, representados por D. Maria Perpétua Franco dos Santos. A primeira acta foi assinada pela educadora Maria Helena P. Cruz.
 
1980 - 23 de Novembro - Lançamento da primeira pedra da capela de São José dos Arneiros. Presidiu ao acto o Sr. Bispo Auxiliar do Patriarca D. António Baltazar Marcelino.
 
1981 - 3 de Maio - Inauguração da nova Igreja da Pedra, em honra de São Sebastião, presidida pelo Cardeal Patriarca D. António Ribeiro.
 
1982 - 16 de Maio - O Bispo Auxiliar D. Serafim Ferreira da Silva presidiu à inauguração da sede dos Escoteiros em São Mamede, Agrupamento n° 647.
 
1984 — 13 de Julho — Faleceu no Cadoiço aquela que era então a torriense mais idosa, Maria das Virtudes, que contava 104 anos. Tinha 4 filhos, 18 netos, 22 bisnetos e alguns trinetos.
 
1984 - 21 de Outubro - O Cardeal Patriarca de Lisboa procedeu à sagração do altar e benzeu a nova capela de Arneiros, dedicada a São José.
 
1985 — 26 de Janeiro — 1ª volta das eleições presidenciais:
 
Eleitores: 4021; Votantes: 2872; Brancos: 8; Nulos: 32
Mário Soares — 566 votos expressos 
Freitas do Amaral - 1570 votos expressos
Salgado Zenha — 559 votos expressos
Maria de Lurdes Pintassilgo - 137 votos expressos
Ângelo Veloso — Desistiu a favor de Zenha
 
1985 — 16 de Fevereiro — 2ª volta das eleições presidenciais:
 
Eleitores: 4013; Votantes: 2988; Brancos: 6; Nulos: 16
Mário Soares — 1268 votos expressos
Freitas do Amaral — 1698 votos expressos
 
1985 - 23 de Junho - Inauguração da Igreja da Carregueira. Presidiu ao acto o Bispo Auxiliar do Patriarcado D. Serafim Sousa Ferreira e Silva.
 
1985 — 29 de Setembro — realizou-se na Murteira a “1ª Mini-Maratona Saloia”, organizada pela Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Murteira.
 
1987 — O Jardim de Infância nº 1 de Moçafaneira é transferido para as instalações da Escola Primária da Moçafaneira.
 
1988 - 26 de Junho - lançamento da primeira pedra para a construção da nave da Igreja do Bonabal. Presidiu ao acto o Sr. Bispo Auxiliar do Patriarcado D. Horácio Cristino.
 
1988 - 31 de Julho - Na Bordinheira, na sede da colectividade local, realizou-se uma festa convívio com o objectivo de homenagear a primeira professora residente na localidade, D. Alice Duarte Pinto Ferreira, nascida em Lisboa, e nessa data com 84 anos. Deu aulas nessa localidade desde 1937 e por um período de 25 anos.
 
1988 - 30 de Outubro - Os paroquianos de São Mamede da Ventosa realizaram uma festa de homenagem ao Padre José Querido, celebrando os seus 25 anos como pároco de São Mamede.
 
1990 - 26 de Agosto - Inauguração da Igreja de Bonabal, dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Presidiu o Bispo Auxiliar D. Horácio Cristino. Presentes o presidente da Câmara, Dr. José Augusto de Carvalho e o executivo da Junta de Freguesia.
 
1991 — De 8 a 10 de Junho, o Agrupamento Escutista 647 de São Mamede, para celebrar o seu décimo aniversário, organizou o IV Festival Escuta do Oeste, que contou com a presença de cerca de 700 escutistas. Na abertura do Festival actuou a Fanfarra do Agrupamento 815 de Figueiredo, Braga. Estiveram presentes o Dr. Filipe Beirão, em representação do Ministro Adjunto da Juventude, o Dr. António Carneiro, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, o Presidente da Junta de Freguesia, Carlos Veloso, o Padre Querido, pároco da Ventosa, os chefes nacionais do Escutismo, do núcleo do Oeste, Vítor Faria e Padre Filipe Vieira.
No encerramento, a Missa foi presidida pelo Bispo D. Horácio Cristino.
 
1991 — Eleições presidenciais:
 
Eleitores: 4170; Votantes: 2570; Brancos: 53; Nulos: 38
Mário Soares — 1908 votos expressos
Basílio Horta - 383 votos expressos
Carlos Carvalhas - 168 votos expressos
Carlos Marques - 22 votos expressos
 
1993 - No dia 30 de Maio realizou-se o lançamento da primeira pedra do Parque de Jogos do Centro Desportivo Recreativo Cultural da Pedra. Contou com a presença do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. José Augusto de Carvalho, Presidente do Centro, Vinício Duarte, e presidente da Junta de Freguesia de Ventosa Carlos Veloso.
 
1993 - 1 de Agosto - Benção da primeira pedra da ova Igreja da Bordinheira. Presidiu o Bispo D. Horácio Cristino.
 
1994 - 24 de Julho - O Bispo Auxiliar D. Horácio Cristino presidiu à inauguração da Igreja de Montengrão, em honra de Santa Catarina.
 
1995 — 3 de Fevereiro — É publicado, no Diário da República, III Série, o Brasão de Armas da Freguesia.
 
1995 - A 1 de Junho é inaugurado o Jardim de Infância da Pedra, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Dr. José Augusto de Carvalho, e do executivo da Junta.
 
1995 - Em 11 de Novembro, por ocasião do Feriado Municipal, foi atribuída a Medalha Municipal do Concelho de Torres Vedras - Grau Prata - ao Reverendo Padre José Querido, pelas suas Bodas de Ouro Sacerdotais.
 
1996 - Entre 21 de Abril e 16 de Junho decorreram as comemorações do 40° aniversario da Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa. Na sessão de abertura teve lugar, nas instalações do Instituto do Vinho, em Gafanhotos, o concerto “Ode ao Vinho” pela Camerata Vocal de Torres Vedras. Na sessão de encerramento realizou-se uma Sessão Solene evocativa da história e influência da Adega Cooperativa na viticultura da região presidida pelo Secretário de Estado da Produção Agro-Alimentar Dr. Manuel Cardoso Leal, e que contou com a presença do Governador Civil de Lisboa, Dr. Alberto Avelino, e do Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro.
 
1996 - A 2 de Junho foi inaugurado o monumento de homenagem ao “Homem Rural”, no lugar do Bonabal.
 
1996 — Eleições Presidenciais:
 
Eleitores: 4364; Votantes: 2906; Brancos: 23; Nulos: 28
Jorge Sampaio - 1263
Cavaco Silva — 1592
 
1996 — Por ocasião do Feriado Municipal de 11 de Novembro foram atribuídas medalhas municipais a quatro individualidades e a uma associação desta freguesia: a título póstumo foi atribuída a Medalha de Mérito Municipal — Grau Prata — à professora do ensino primário D. Antónia da Conceição Sousa Machado; pela sua acção educativa, a professora da Escola Primária Feminina de São Mamede da Ventosa, D. Antónia Pereira das Neves Matias Santos, recebeu a Medalha de Mérito Municipal — Grau Prata; por terem feito parte da equipa titular do campeonato nacional de cadetes com a Medalha Municipal — Grau Cobre; pelas suas Bodas de Prata foi atribuída à Associação Agrária Cultura e Recreio de Bonabal, a Medalha de Mérito Municipal — Grau Cobre -, tendo-a recebido, em representação desta associação, o Presidente da sua direcção Luís Manuel Correia Marques.
 
1997 — A 23 de Março teve lugar a sessão pública de apresentação do livro “Poeta Pastor” da autoria de João da Cruz Ramos, “Palhinhas”, que teve lugar na sede da Associação Agrária Cultura e Recreio de Bonabal, com apresentação de Joaquim Carimbo.
 
1997 — A 16 de Junho foi inaugurado o monumento em homenagem a D. Teresa Idalina Costa Patronil, professora oficial da Escola Primária de Bonabal, acto que contou com a presença do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. José Augusto de Carvalho.
 
1997 - A 17 de Agosto procedeu-se ao lançamento da colecção de postais sobre a Igreja Paroquial de São Mamede, editada pela Junta de Freguesia, que incluiu uma exposição temática sobre Património Religioso da Freguesia.
 
1997 — A 6 de Dezembro publica-se, no Diário da República, nº 282, II Série — Aviso nº 4295/ 97 — Apêndice nº 126 — a alteração do quadro de pessoal da Junta de Freguesia publicado no Diário da República, nº 56, II Série, de 7 de Março de 1997.
 
1998 - Em 19 de Abril foi inaugurado o Centro Social de São José, em Arneiros.
 
1998 — A 31 de Maio realizou-se a sessão solene das comemorações das Bodas de Ouro da União Camponesa, Recreativa e Desportiva de Fernandinho, que teve lugar na sede social. Contou com a presença do sr. Governador Civil do Distrito de Lisboa, Dr. Alberto Avelino, e do Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro.
 
1998 — Referendo sobre a “Lei do Aborto” (28 de Junho):
 
Eleitores: 4341 — 100%
Votantes: 1432 — 33%
Abstenção: 2909 — 67%
Brancos: 12 — 0,8%
Nulos: 6 — 0,4%
Votos SIM: 392 — 27,7%
Votos NÃO: 1022 — 72,3%
 
1998 — Na presença do Secretário de Estado da Administração Local e do Ordenamento do Território, Dr. José Augusto de Carvalho, do Presidente da Câmara, Dr. Jacinto Leandro, do sr. Padre Querido e do Executivo da Junta, procedeu-se à assinatura do protocolo e homologação do financiamento de 5400 contos para as obras da colocação do novo telhado e tecto falso no Salão paroquial, entre a Fábrica da Igreja de São Mamede da Ventosa e a Direcção Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano.
 
1998 — Referendo sobre a Regionalização (8 de Novembro):
 
Eleitores: 4403 — 100%
Votantes: 2168 — 49,2%
Abstenção: 2235 — 50,8%
Brancos: 26 — 1,2%
Nulos: 35 — 1,6%
 
Pergunta 1:
Votos SIM: 455 — 21,6%
Votos NÃO: 1627 — 77,2%
Brancos: 25 — 1,2%
 
Pergunta 2:
Votos SIM: 484 — 23%
Votos NÃO: 1555 — 73,8%
Brancos: 68 — 3,2%
 
1998 — A 11 de Novembro, por ocasião da entrega das Medalhas Municipais a pessoas e entidades do concelho, foram medalhadas duas associações da freguesia da Ventosa: a União Camponesa Recreativa e Desportiva de Fernandinho recebeu a Medalha de Mérito Municipal — Grau Prata -, pelas suas Bodas de Prata; a Associação de Solidariedade e Acção Social de São Mamede da Ventosa, ASAS, recebeu a Medalha de Mérito Municipal — Grau Cobre -, pelos bons serviços, prestados às populações, no transporte de doentes e apoio domiciliário aos idosos.
 
1998 — É assinado o protocolo entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia para a instalação de telefones nos estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo e Jardins de Infância.
 
1998 — II Grande Final das Estrelas do Oeste — Torres Vedras — Vencedores os irmãos Nolan - Bordinheira
 
1999 — 16 de Janeiro — Tem lugar na capela de São José, em Arneiros, uma festa em homenagem a José Marcelino Félix, que completou então 90 anos, com celebração de missa, presidida pelo pároco Pe. José Querido, à qual se seguiu uma festa.
José Marcelino Félix passou longos anos “pelas direcções de várias associações e movimentos religiosos, tendo, em conjunto com outros elementos do mesmo ideal, mantido viva a vida religiosa na paróquia, concretamente, na década de trinta e meados de quarenta, épocas em que a paróquia não teve pároco.
“Acumulou com os cargos paroquiais o cargo executivo da Junta de Freguesia (...). Foi também director da Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa durante vários mandatos, sobretudo nos tempos em que foi urgente adquirir os terrenos, preparar os projectos de construção e construir as instalações da actual adega” (Badaladas, 5 de Fevereiro de 1999).
 
1999 — Março — No âmbito da iniciativa “Câmara em Movimento”, o presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro, visita a freguesia de São Mamede da Ventosa. 
 
1999 — 14 de Março — Jornada Penitencial da Vigararia ou Jornada Pastoral da Fé em São Mamede, no adro da igreja paroquial, presidida pelo Sr. Bispo D. António Vitalino que já estava nomeado pelo Santo Padre para Bispo de Beja (Padre José Querido).
 
1999 - A 26 de Março tem lugar a inauguração do Jardim de Infância de Arneiros. Com a presença do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro e do Vereador da Educação e Cultura, Dr. Jorge Ralha, tem lugar a cerimónia de entrega de uma viatura à G. N. R. para reforço de segurança das escolas do concelho, no âmbito do projecto "Escola Segura". As instalações foram benzidas pelo Padre Querido.
 
1999 - 25 de Abril - Inaugurada a Igreja da Bordinheira, tendo por padroeiro São Francisco de Assis.
Por essa ocasião foi assinado o protocolo e homologação do financiamento para a conclusão das obras dessa Igreja entre a Fábrica da Igreja Paroquial de São Mamede e Desenvolvimento Urbano.
Estiveram presentes nesse acto o Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Dr. José Augusto de Carvalho, o Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro, o Sr. Patriarca D. José da Cruz Policarpo, o Padre José Querido e o Executivo da Junta.
O projecto da Igreja foi da autoria do arquitecto Flores, do Secretariado das Novas Igrejas do Patriarcado de Lisboa.
A Igreja tem uma sala para o culto, três salas para a catequese, uma cave, e a torre é encimada por um sino, com um relógio na parede lateral.
A Eucaristia inaugural foi presidida por D. José Policarpo, Patriarca de Lisboa.
Esta igreja foi construída no sítio onde existiu a antiga capela desse lugar e em terrenos cedidos por José Tiago: “No dia 1 de Julho de 1993, celebrou-se a última Eucaristia e realizou-se uma procissão, com imagens e alfaias litúrgicas, para uma casa, cedida para o efeito, por Luís Alberto Gomes, também proprietário da antiga escola”. (Ana Alcântara, “Bordinheira Inaugurou Nova Igreja”, in Badaladas, 7/ 05/ 1999).
 
1999 — 25 de Abril — Por iniciativa de José Abel Botelho, de Estrada, tem lugar, na sede do G. D. R. C. de São Mamede um almoço comemorativo do 25 de Abril, que contou com a presença de cerca de 300 pessoas.
 
1999 — 25 de Abril — Estafeta da Liberdade — volta ao Concelho — participação de atletas dos Arneiros e da G. D. R. C. de São Mamede.
 
1999 — 12 de Junho — III Grande Final das Estrelas do Oeste do Concelho — vencedora: Alexandra Maia — Bordinheira.
 
1999 - 3 de Agosto de 1999 - Com a presença do Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, teve lugar em Arneiros a homologação do protocolo de financiamento para a construção da sede social da Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Arneiros.
 
1999 — XIX Festival das Vindimas — Torres Vedras — Marina Vieira — Carregueira — 2ª Dama de Honor.
 
1999 - A 25 de Dezembro, dia de Natal, teve início a iniciativa “Luz do Milénio”. A partir dessa data, essa “Luz” simbólica, uma lanterna com azeite, percorreu todas as casas da freguesia, ao longo do ano 2000, até à Epifania de 2001.
 
2000 - 7 de Maio - Jubileu da Paróquia de São Mamede da Ventosa. O Patriarca de Lisboa, D. José da Cruz Policarpo, concedeu que a Igreja Paroquial de São Mamede fosse a Igreja Jubilar neste dia. Nesta data, as pessoas da paróquia, formando grupos das suas respectivas aldeias, fizeram a visita jubilar à Igreja Paroquial, seguindo para o adro onde se celebrou uma paraliturgia litúrgica. A celebração da Eucaristia foi presidida pelo Bispo de Lisboa que benzeu e inaugurou o Monumento do Milénio, da autoria do arquitecto João Bastos e, finalmente, plantou a Oliveira do Milénio.
 
2000 — 10 de Junho — IV Grande Final das Estrelas do Oeste do Concelho — Vencedor: André Silva e os CATS — Arneiros.
 
2000 - No dia 18 de Junho são formalmente inauguradas as instalações da Junta de Freguesia, com a presença do Secretário de Estado da Administração Local, José Augusto de Carvalho, do Governador Civil do Distrito de Lisboa, Dr. Alberto Avelino, e do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Jacinto Leandro. O rés-do-chão está totalmente ocupado com a extensão do Centro de Saúde de Torres Vedras, no primeiro andar encontram-se os serviços administrativos da autarquia. Possui uma sala de reuniões polivalentes onde, além das assembleias da junta, são ministrados cursos de informática. Existe ainda uma sala de arquivo e uma biblioteca, que conta já com dezenas de livros, fruto de uma grande doação, ainda neste piso funciona um posto de correios. O segundo andar está totalmente transformado num ginásio usado como complemento educativo dos jardins de infância e onde são dadas aulas de dança.
 
2000 — 19 de Julho — A convite da Junta de Freguesia, o Secretário de Estado da Administração Local, Dr. José Augusto de Carvalho, o Governador Civil do Distrito de Lisboa, Dr. Alberto Avelino, o Presidente da Assembleia Municipal de Torres Vedras, Dr. Carlos Miguel, o Sr. Padre Querido e o Executivo da Junta, visitaram o Salão Paroquial para se integrarem das obras efectuadas neste edifício.
 
2000 - A 7 de Agosto foram inauguradas as novas instalações da Caixa de Crédito Agrícola de Arneiros.
 
2000 — 17 a 20 de Agosto — Exposição Fotográfica sobre o Património da Freguesia “a Igreja Paroquial” e “Igrejas e Capelas” — organização da Proventosa e Junta de Freguesia.
 
2000 — Por ocasião do feriado municipal de 11 de Novembro foram atribuída Medalhas de mérito Municipal — Grau Cobre -, respectivamente ao G. D. R. C. S. de São Mamede e à A. D. R. C. dos Arneiros, ambas pelo 25º aniversário da sua fundação.
 
2001 — Eleições Presidenciais de 14 de Janeiro: com uma abstenção de 48,8% na freguesia de Ventosa, inferior à abstenção no total do concelho de Torres Vedras (49,5%), registou-se o seguinte resultado nesta freguesia:
 
Jorge Sampaio — 1244 — 56,5%
Ferreira do Amaral — 835 — 37,9%
António Abreu — 69 — 3,1%
Fernando Rosas — 41 — 1,8%
Garcia Pereira — 12 — 0,5%
 
2001 — No dia 29 de Abril foi inaugurada a sede social da Associação Cultural Desportiva Recreativa de Arneiros, com a presença do Sr. Governador Civil do Distrito de Lisboa, Dr. Alberto Avelino, do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. Jacinto Leandro, do Presidente da Assembleia Municipal de Torres Vedras, Dr. Carlos Miguel, do executivo da Junta e do Padre Querido.
 
2001 — 6 de Julho — Ivo Francisco — Azinhaga — representa a freguesia na Final em Torres Vedras no Festival “Novos Talentos”.
 
2001 — 17 de Novembro — XXI Festival das Vindimas — Torres Vedras — Susana Santos — Gafanhotos — 3ª Dama de Honor.
 
2002 — Comemorações do 25 de Abril do Concelho de Torres Vedras — Organização da Câmara Municipal de Torres Vedras e da Junta de Freguesia. O Programa constou do seguinte:
 
Exposição de Fotografia:
25 de Abril na Freguesia de Ventosa
Esperança, Trabalho e Liberdade
Salão Paroquial de São Mamede da Ventosa
(Abertura: 21 de Abril pelas 10:00h)
 
24 de Abril (Quarta-Feira)
- Espectáculo Comemorativo — 21:30h no Salão Paroquial
- Fogo de Artifício — 24:00h em São Mamede da Ventosa
 
25 de Abril (Quinta-Feira)
- Desporto em Abril — 10:00h, junto à Igreja e à sede do Grupo Desportivo
- Sessão Solene da Assembleia Municipal — 11:00h, na sede do Grupo Desportivo, Recreativo e Cultural de São Mamede
—Piquenique da Amizade — 12:30h, Grupo Desportivo, Recreativo e Cultural de São Mamede
 
2002 — 22 de Junho — “Novos Talentos” — o duo Mónica Gomes, da Pedra e Cátia Pedro, de Arneiros, representaram a Freguesia na Final em Torres Vedras.
 
2002 — 28 a 30 de Junho — 1ª Feira do Livro, promovida pelos estagiários do Serviço Social — Proventosa com o apoio da Junta de Freguesia.
 
2002 — 17 a 20 de Agosto — Exposição fotográfica sobre o património da freguesia “Moinhos de Vento” — integrada nos festejos em honra de São Mamede.
 
2002 — 16 de Novembro — XXII Festival das Vindimas — Torres Vedras — Final — Ana Catarina da Silva Neves é eleita Rainha das Vindimas 2002.
 
2002 — 23/ 24 de Novembro — Numa organização do G. D. R. C. de São Mamede, com o apoio da Junta de Freguesia, foi homenageado o acordeonista Abel da Silva Alves (73º Aniversário) na sede social do G. D. R. C. de São Mamede.
 
2002 — Dezembro — Sagrou-se Bi-Campeão Nacional absoluto de Moto 4 — Mário Jorge Ferreira Reis — vulgo Machola, natural e residente em Fernandinho.
 
2002 — 15 de Dezembro — Festa das Bodas de Prata Sacerdotais do Cónego Álvaro Bizarro. A comemoração contemplou a realização de Pregações, Reflexos, Actividades na Catequese e um Dia Festivo (Missa de Festa Campal, Sessão de Homenagem, merenda — convívio no Salão Paroquial).
 
2002 — Dezembro - Hemâni Brôco, do Bonabal, ganha camisola das metas volantes na Volta a Portugal do Futuro. Jorge Torre, Ciclista de Esperanças, do Bonabal, obteve o oitavo lugar no Europeu realizado na Bélgica.
 
 
 
Segundo a publicação no Diário da República, III Série de 3 de Fevereiro de 1995, o Brasão de Armas da freguesia de Ventosa apresenta a seguinte Ordenação Heráldica: «Escudo de verde, armação de moinho de negro vestida de prata, tendo em chefe dois cachos de uvas de púrpura, folhados, de ouro; canto de ouro, carregado de um cacho de uvas de púrpura, folhado de verde. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com a legenda a negro, em maiúsculas: “VENTOSA — TORRES VEDRAS”».
 
 
 
O orago da freguesia de Ventosa é São Mamede, cuja festa se celebra no dia 17 de Agosto. Desconhece-se a data de nascimento deste glorioso mártir.
São Mamede era pastor e, movido pela sua fé, construiu um altar no deserto, passando a pregar a palavra de Deus aos animais selvagens. Foi preso e lançado às feras mas estas, inexplicavelmente, não lhe tocaram. Escapou depois à morte num forno e, por fim, foi estripado por um tridente. Estes factores são agora representados como símbolos de São Mamede, tendo, assim, como atributos um tridente, um leão, corças leiteiras e outros animais.
É o padroeiros dos queijeiros e fabricantes de lacticínios e dos bombeiros, porque apagou um incêndio com as sua lágrimas.
 
[Reprodução Audio] Data de 23/06/2010
 

» Morada da J. de Freguesia

Av. Padre Manuel Antunes n°28 1°
Moçafaneira
2565-842 Ventosa TVD

Telefone: 261 950 430
Fax: 261 950 439
Telemóvel: 911500812
E-mail: jfventosa@sapo.pt

Horário de Funcionamento
Segunda a Sexta 9h00 ás 17h30 Não encerramos á hora almoço


» Farmácias de Serviço


» Meteorologia

» Para Hoje

Não existem eventos para hoje.